Notícias

Comitê de Execução é criado para gerir o Programa Pátria Amada Mirim

27/03/2020 - Wanja Nóbrega/Governo do Tocantins

O Governo do Estado instituiu o Comitê de Execução do Programa Pátria Amada Mirim (PAM), por meio de portaria conjunta, assinada entre os órgãos parceiros do Programa. Criado no final do ano passado, o PAM é uma política de governo destinada a estudantes das duas fases do ensino fundamental de escolas públicas do Tocantins. O foco é dar a esses estudantes uma perspectiva diferente sobre as questões ambientais, por meio de experiências de campo e outras vivências, todas coordenadas por técnicos dos órgãos parceiros.

Mesmo o PAM tendo sua execução prática interrompida por causa do período de isolamento social, o Governo do Estado formalizou a participação dos órgãos parceiros, por meio da criação do Comitê, que terá como funções principais executar e avaliar continuamente todos os seus estágios.

A portaria conjunta nº 1, foi publicada na última sexta-feira, 3 abril, e indica o nome dos representantes de cada órgão participante. São dois de cada instituição parceira: Karynne Sotero Campos e Cinthia Barbosa Pires Azevedo, da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semah); Fabrícia Neli Joham Martins e Marcos Irondes Coelho de Oliveira, Secretaria da Educação, Juventude e Esportes (Seduc); Fábio Alves dos Santos Oliveira e Maurício José Alexandre de Araújo, Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins); e Marla Guedes Cordeiro Carvalho e Ricardo Flores Haidar, Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins  (Ruraltins).

Em linhas gerais, o PAM pretende capacitar crianças e adolescentes da rede pública de ensino do Tocantins sobre sustentabilidade, seus desafios e possibilidades, além de torná-los conscientes sobre a importância da educação ambiental, principal pilar do Programa.

Para o presidente do Naturatins, Sebastião Albuquerque, por meio da educação ambiental é possível incentivar as novas gerações a proteger, preservar e conservar os recursos naturais, entendendo que estes são essenciais à vida de todos os seres. “Quanto mais cedo for iniciada a conscientização ambiental de crianças e adolescentes, maiores são as chances de alcançar a formação cidadã necessária à preservação dos recursos naturais que compõem os biomas do Estado”, defende Albuquerque.

Ainda no ano passado, o Programa foi iniciado, de maneira experimental, na Escola Estadual Entre Rios, localizada na Zona Rural de Palmas. Na ocasião, 50 alunos participaram de diálogos sobre o bioma cerrado e visitas de campo para identificação das árvores, flores e frutos locais.

A meta para este ano era atender 8,5 mil estudantes em 40 municípios e chegar 25 mil estudantes das 139 cidades tocantinenses até 2022. Por causa do isolamento social, que interrompeu as atividades escolares, caberá ao Comitê recém-criado discutir a melhor maneira de dar prosseguimento ao Programa e definir novas metas.

O PAM é dividido em duas seções, sendo o PAM 1 destinado a estudantes dos anos iniciais do ensino fundamental, com atividades teóricas e lúdicas, e o PAM 2, para alunos das séries finais, com aulas teóricas e práticas em diversos espaços, incluindo viveiros. As atividades do PAM são realizadas no horário contrário ao das aulas regulares.