Notícias

Secretários e técnicos do Governo visitam projeto de piscicultura em Goiás

05/02/2018 - Patrícia Saturno/Governo do Tocantins

Uma equipe formada por representantes de órgãos do Executivo estadual, com atuação direta ou indireta nas políticas públicas no setor da piscicultura, participou de visita técnica a um projeto verticalizado de produção de tilápia no município de Niquelândia (GO).

A equipe do Governo, composta pelos secretários Alexandro de Castro, do Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Turismo e Cultura; e Clemente Barros, do Desenvolvimento da Agricultura e Pecuária; pelo vice-presidente do Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), Edson Cabral, e servidores de áreas técnicas, foi recebida pelo diretor-presidente do grupo Aquaporto/Aquamérica, Jorge Vieira Barbosa, e pela equipe da empresa Lake's Fish.

A missão, que contou também com a participação da prefeita de Brejinho do Nazaré, Miyuki Hyashida, foi uma iniciativa da revista Cerrado Rural/Piscishow, como parte do projeto Piscishow em Ação, em parceria com o grupo Aquaporto/Aquamérica. De acordo com Antônio Oliveira, proprietário da revista Cerrado Rural, o objetivo foi apresentar, aos órgãos do Estado, um projeto que envolve desde pesquisas genéticas para a produção de alevinos, até o produto final, que é o filé de tilápia pronto para comercialização. "Buscamos aproximar o Governo do Tocantins de grandes empresas da área de piscicultura, e vice-versa, com foco na atração de investimentos para o Estado", destacou.

O secretário Alexandro de Castro enfatizou que a presença de representantes de diferentes pastas na missão representa o compromisso do Governo em promover o desenvolvimento do Estado por meio da piscicultura. Também destacou o empenho do Estado em garantir segurança jurídica e ambiental em torno da produção desta espécie no Tocantins. "Buscamos o envolvimento de todos para trabalharmos um projeto que fará com que o Tocantins comece a receber, em larga escala, investimentos. Hoje, já temos investimentos em produção e frigoríficos dedicados ao peixe nativo e, certamente, teremos uma aceleração muito grande com essa nova fase, com a atração de novos investimentos a exemplo da Aquaporto e de outras empresas que estão interessadas em investir nessa atividade econômica. E isso se dará no Tocantins de uma forma responsável, em que todos tenham segurança jurídica. Temos sim a intenção de que a commodity tilápia possa, e vai certamente, agregar à cultura, ao desenvolvimento e à pesquisa também dos nossos peixes nativos", considerou.

Clemente Barros reforçou o propósito do Estado em fortalecer a piscicultura e lembrou que o Tocantins já dispõe de um Centro de Pesquisas em Piscicultura da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). "Isso significa que nós poderemos desenvolver tanto neste segmento da tilápia, que já é um peixe pesquisado no mundo inteiro, quanto dar continuidade a pesquisas acerca dos nossos peixes amazônicos", enfatizou, apontando a escassez de pesquisas como um dos motivos para que os peixes nativos ainda não tenham despertado interesse do mercado internacional. "O mundo hoje quer qualidade e sanidade, mas com o Centro de Pesquisas da Embrapa, tenho certeza de que vamos avançar", frisou.

Portfólio

Com sete unidades no Brasil, o grupo Aquaporto/Aquamérica pretende ampliar sua atuação e enxerga o Tocantins como uma alternativa promissora para um novo empreendimento, conforme destaca Jorge Vieira. "No ano passado, eu já estive visitando áreas para a gente se instalar no Estado. Temos interesse em montar uma base. O objetivo é realmente atender toda a região do Tocantins e participar deste crescimento que, com certeza, vai acontecer na cadeia da aquicultura lá", disse.

O empresário reforçou o potencial do Estado para a produção desta espécie. "As condições climáticas e temperaturas são excepcionais. Ao contrário de outros estados do Brasil, o Tocantins tem condições de produzir constantemente, o ano inteiro. São condições realmente muito favoráveis", argumentou.

Em Niquelândia, o grupo Aquaporto/Aquamérica e a Lake's Fish geram em torno de 150 empregos diretos.