Notícias

Simulação de acidente químico prepara técnicos do governo para atuar em situações de risco

19/04/2013 - Edvânia Peregrini

Para mostrar na prática as teorias aprendidas em sala de aula no decorrer da semana, 42 alunos do curso de Atendimento a Emergências Químicas tiveram que atuar na simulação de um acidente químico preparado na manhã desta sexta-feira, 19, na Avenida Theotônio Segurado, próximo ao Córrego Brejo Comprido, em Palmas. O treinamento, que acontece desde segunda-feira, 15, é ministrado por técnicos da Cetesb  – Companhia Ambiental do Estado de São Paulo, por meio de parceria entre os Governos destes estados.

A simulação envolveu mais de 60 pessoas de diversas instituições para, além de atuar, apoiar na montagem e suporte à equipe de trabalho. Como forma de avaliação prática, a atividade encerra a segunda etapa da capacitação técnica para gerenciamento de substâncias químicas aos representantes da Comissão Estadual do P2R2 - Plano Nacional de Prevenção, Preparação e Resposta Rápida a Emergências Ambientais com Produtos Químicos Perigosos.

O cenário preparado para o atendimento constituiu-se em uma colisão envolvendo três veículos, sendo uma carreta carregada de gás tóxico, um caminhão com combustível, e o terceiro uma camionete. O suposto acidente teria deixado três feridos, sendo um em estado grave por intoxicação, após o vazamento do gás.

Durante a situação hipotética, a equipe acionou o corpo de bombeiros, que se articulou com os demais órgãos parceiros no atendimento às vítimas, na contenção dos gases tóxicos e posteriormente na avaliação dos impactos ambientais na área do acidente.

Para a tenente do Corpo de Bombeiros e coordenadora de monitoramento da Defesa Civil, Andreya Cruz, o simulado possibilitou a integração das equipes envolvidas neste tipo de ocorrência. “Nós conseguimos fechar essa etapa, que é trabalhar em conjunto com os agentes envolvidos, onde cada órgão conseguiu atuar em sua área de competência, pensando tanto em preservar vidas como o monitoramento do meio ambiente”, frisou.

O instrutor da Cetesb, Anderson Pioli, considerou positiva a atuação e envolvimento da equipe. Para ele, o cenário acidental envolveu uma situação de risco com produtos altamente perigosos, e a equipe conseguiu trabalhar com os materiais necessários para esse tipo de emergência. “Houve algumas correções, que após a simulação foram discutidas e revistas, e com isso observamos que os técnicos estão preparados para atuarem de forma adequada em uma situação real”, avaliou.

Durante o encerramento os participantes receberam o certificado do treinamento para atendimento a emergências químicas emitido pela Cestesb, parceira do Governo do Estado.

Compartilhe esta notícia